Territórios de Interesse da Cultura e da Paisagem (TICPS) 2019

TERRITÓRIOS DE INTERESSE DA CULTURA E DA PAISAGEM (TICPS), AUP5923/2019
Prof. Euler Sandeville Junior


PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO
FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO DA USP
ATUALIZADO 27/10/2019
quintas das 14:00 às 18:00, em percurso pelo TICP JP

como citar:
SANDEVILLE JR., Euler. “Territórios de Interesse da Cultura e da Paisagem (TICPS)”. A Ensino e Pesquisa, on line, São Paulo, 2019 .

Pesquisadores participantes: Adriane Fernanda Silva, Alain Briatte Mantchev, Almir de Souza Moreira Junior, Carolina Maria Bergamini de Lima, Fábio Kinker Caliendo Benzi, Felipe dos Santos Neres, Fernanda Cecilia Guedes Lyra, Isabela Amaral Di Maio, Laís de Camargo Souza, Marcelo Fontana, Maria Cecilia Dias da Cruz, Mário Sérgio Bortoto, Samantha Meconi, Sheila Ferreira Costa Coelho, Sirlei Bertolini Soares, Victor Berbel Monteiro, Camila Conti, Diogo Cavallari Bella, Fernando Birello de Lima, Franciele Busico Lima, Lucia Kazumi Kurimoto, Patrícia Siqueira Melo

São objetivos programáticos da disciplina:

  • Trabalhar o direito à paisagem e ao ambiente a partir dos conceitos e de experiências em curso dos Territórios de Interesse da Cultura e da Paisagem (TICPs), da paisagem como experiência partilhada e construção social e da cidade como espaço educativo.
  • Contribuir para a construção colaborativa de conhecimento, para o desenvolvimento local sustentável e para a elaboração de projetos inovadores de construção e gestão de políticas públicas participativas, visando à qualificação das paisagens e dos territórios.
  • Discutir, a partir desses territórios, conceitos e métodos para diagnóstico, gestão e planejamento da paisagem e suas escalas de entendimento e intervenção, ancorados numa compreensão crítica dos processos socioambientais de decisão, construção e apropriação do espaço.
  • Estabelecer estratégias de aprendizagem em ação e em dinâmicas experimentais que favoreçam a construção de processos colaborativos de interpretação, valoração, decisão e ação dialógica na transformação das paisagens.

Estratégia da disciplina em 2019

A paisagem é pensada como um território educativo, com especial atenção a áreas de vulnerabilidade social, visando favorecer o desenvolvimento humano e social, a valorização local e regional e sua interdependência com outros territórios da cidade e contribuir na construção de modo ativo e criativo múltiplas estratégias integrativas dos equipamentos sociais ou de movimentos locais.

Há uma preocupação de entender a questão local e regional, buscando a compreensão de suas questões, potencialidades e disputas internas, mas também suas possibilidades de compreensão e interações com outras escalas e regiões do território da cidade. Buscam-se formas dinâmicas, inovadoras e participativas para a solução colaborativa e solidária de problemas, inclusive a geração de renda a partir da educação, do conhecimento e do compromisso com o espaço público e a qualidade ambiental.

Adotamos como ênfase prioritária da disciplina para o segundo semestre de 2019 o Território de Interesse da Cultura e da Paisagem Jaraguá Perus (Lei n.16.050/2014, artigos 314 a 317, cf. também 67, 312 e a proposição dos Núcleos Regionais de Planejamento, Art. 324 § 1º), no contexto de buscar entender as potencialidades do instrumento para a cidade. Adotamos como ênfase temática norteadora dos trabalhos este ano: Ambiente, Patrimônio Histórico, Integração de Equipamentos e Políticas (Educação Saúde Cultura Ambiente), Potencialidades de Paisagem.

Em sua concepção e criação, o Núcleo de Estudos da Paisagem (NEP;LabCidade FAU USP) teve um papel decisivo e, a partir de sua implementação, tem desenvolvido projetos, estudos e programas em parceria com instituições públicas, moradores e movimentos da sociedade civil na área ambiental, da educação e da saúde, em especial na construção do TICP Jaraguá Perus. Assim, a disciplina apresenta uma perspectiva fortemente experimental e exploratória, privilegiando a compreensão de conceitos, princípios e construção crítica de significados a partir de estudos e vivências na paisagem em processos participantes de estudo. A cidade é, na concepção dos processos procurados na disciplina e para o aprimoramento dos instrumentos e políticas existentes, um espaço educativo, cultural e colaborativo, reconhecendo seu potencial afetivo, transgeracional, cultural e de produção de conhecimentos e experiências. Busca-se, através da experiência acumulada no NEP/Labcidade e de outros parceiros, a articulação de políticas públicas e de formas de participação colaborativa de equipamentos educativos, da saúde e assistência, patrimônio cultural e natural, lugares de memória (lato senso), a produção cultural local e sua memória. Em sua concepção, a disciplina, problematizando conceitos e valores que fundam essas experimentações, busca contribuir de modo ativo e criativo com múltiplas estratégias em curso integrativas dos equipamentos sociais ou de movimentos autônomos locais. Há uma preocupação de se entender a questão local, referindo-se não apenas a suas questões e disputas internas, mas também à cidade e outros territórios, indagando criticamente fluxos entre seus diversos territórios, contradições, ações públicas, privadas e de construção de autonomia. A paisagem é pensada como um território educativo, com especial atenção a áreas de vulnerabilidade social, visando favorecer o desenvolvimento local, e a solução colaborativa e solidária de problemas, inclusive a geração de renda a partir da educação, do conhecimento e do compromisso com o espaço público e a qualidade ambiental. A disciplina procura, ainda, favorecer formas dinâmicas, inovadoras e participativas para a articulação e diálogo das escalas regionais e locais, dos órgãos setoriais e descentralizados, sempre buscando formas de participação direta e efetiva.

Espera-se que os trabalhos finais incorporem as questões cognitivas, conceituais, metodológicas e vivenciais trabalhadas no curso conforme essas ênfases acima, propondo estratégias para a paisagem a partir de sua interpretação e pesquisa aplicada, representando e integrando as questões ambientais, urbanas e de gestão que resultem em contribuições para a difusão do conceito e compreensão do TICP JP no território e que contribua de modo efetivo para o enfrentamento de questões locais e regionais. Para tanto, além da participação em aulas, os pesquisadores deverão desenvolver estudos de campo e leituras complementares, podendo organizar-se em grupos de trabalho temáticos. A questão ambiental e o conhecimento de campo são considerados centrais no processo da disciplina. A disciplina adota a estratégia de uma oficina aberta à contribuição de outros profissionais e moradores que desejem comprometer-se com os princípios de trabalho, devendo chegar a um trabalho final integrado de todos os participantes, esperando-se realizar debates públicos desse processo e seus resultados. O material produzido na disciplina será disponibilizado sob licença Creative Commons.

PROPOSTA DE AULAS (sujeito a ajustes) todos os linques abrem em nova janela

agosto


15/08 APRESENTAÇÃO (aula expositiva).

Local: Quilombaque

APRESENTAÇÃO E AULA EXPOSITIVA + DINÂMICA: ESPIRAL DA SENSIBILIDADE E DO CONHECIMENTO

Leituras indicadas


22/08 AULA EXPOSITIVA: PAISAGEM: CONCEITOS E MÉTODOS (aula expositiva).

Local: Sindicato de Cimento Perus

Interpretação da cidade, da paisagem e do ambiente. Conceituação e problematização da paisagem. Métodos de estudo. Estruturas urbanas e ambientais, interações escalares e qualidade de vida; cartografias e múltiplas possibilidades de representação, experiência e significação.

Leituras indicadas


29/08 AULA EXPOSITIVA + DINÂMICA: TICP,: CONCEITUAÇÃO, PRINCÍPIOS, VALORES, POSSIBILIDADES DE ARTICULAÇÃO (aula expositiva).

Local: Tekoa Pyau

Conceito e criação dos TICPs. O TICP Jaraguá Perus, o TICP Paulista Luz e outros inicialmente pensados. Processos, projetos e experiências em curso na criação, construção e regulamentação dos TICPs e suas formas de gestão. Compreendendo as dinâmicas ambientais na proposição dos TICPs e a paisagem vivida.

Leituras indicadas


setembro


12/09 OFICINA DA PAISAGEM 1: CARTOGRAFIAS AMBIENTAIS (aula expositiva).

Local: EMEF Rogê Ferreira

Ecologia da paisagem, biodiversidade, fragmentação e conectividade ambiental, padrões e dinâmicas da paisagem, unidades de conservação e espaços públicos na estruturação da paisagem e projetos de desenvolvimento local e regional. Dinâmicas urbanas e questões ambientais no desenho da paisagem.

Leituras indicadas


19/09 OFICINA DA PAISAGEM 1: CARTOGRAFIAS AMBIENTAIS (aula expositiva).

Local: Ocupação Caioba, Teatro Pandora

Continuação


26/09 OFICINA DA PAISAGEM 2: ANÁLISE DE TRABALHOS (aula expositiva).

Local: EMEF Marili Dias

Dinâmica de estudo a partir de trabalhos sobre o TICP JP

Leituras indicadas


outubro


03/10 OFICINA DA PAISAGEM 2: ANÁLISE DE TRABALHOS (aula expositiva).

Local: CIEJA Perus I

Continuação


10/10 OFICINA DA PAISAGEM 3: VISLUMBRANDO PAISAGENS (aula expositiva).

Local: Igreja São José

Diagnóstico e diretrizes para o TICP JP


14/10 OFICINA DA PAISAGEM 3: VISLUMBRANDO PAISAGENS (aula expositiva).

Local: Biblioteca Padre José Anchieta

Diagnóstico e diretrizes para o TICP JP.


24/10 SEMINÁRIO DEBATENDO OS TERRITÓRIOS DE INTERESSE DA CULTURA E DA PAISAGEM: CULTURA EDUCAÇÃO AMBIENTE PARTICIPAÇÃO (aula expositiva).

Local: Cassa da Dona Yayá

Programação:


31/10 SEMINÁRIO DEBATENDO OS TERRITÓRIOS DE INTERESSE DA CULTURA E DA PAISAGEM: CULTURA EDUCAÇÃO AMBIENTE PARTICIPAÇÃO (aula expositiva).

Local: Centro Cultural Maria Antônia

Programação:


novembro


07/11 OFICINA DA PAISAGEM 3: VISLUMBRANDO PAISAGENS (aula expositiva).

Local: CIEJA Perus I

Síntese inicial do trabalho. Princípios para Gestão.


14/11 OFICINA DA PAISAGEM 3: VISLUMBRANDO PAISAGENS (aula expositiva).

Local: CIEJA Perus I

Princípios para Gestão. Princícios da Espiral da Sensibilidade e do Conhecimento e da Firmeza Permanente. Gestão descentralizada, gestão integrada e gestão partilhada. Núcleos Regionais de Planejamento. Autonomia local e cidade. Planos de Bairro. Novas possibilidades e estratégias de gestão integrada e partilhada na paisagem. Tensões e contradições.

Leituras indicadas


21/11 OFICINA DA PAISAGEM 3: VISLUMBRANDO PAISAGENS (aula expositiva).

Local: CIEJA Perus I

Fechamento do trabalho


28/11 OFICINA DA PAISAGEM 3: VISLUMBRANDO PAISAGENS (aula expositiva).

Local: CIEJA Perus I

Fechamento do trabalho


dezembro


05/12 DEBATE PÚBLICO (aula expositiva).

Local: FAU USP


12/12 RETIFICAÇÕES E FECHAMENTO (aula expositiva).

Local: CIEJA Perus I


14/12 APRESENTAÇÃO PÚBLICA FINAL (aula expositiva).

Local: CEU PERUS (confirmar)


espiral da sensibilidade e do conhecimento
um projeto de euler sandeville

Foto Euler Sandeville, Folha, detalhe, 2009.
Folha, detalhe. Foto de Euler Sandeville, 2009.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s