ensino e pesquisa


arte, cultura e ambiente

    ensino   +   pesquisas e projetos
    apoio didático   +   publicações
    conceituação   +   contato

pesquisas       projetos       núcleo de estudos da paisagem      
instituto da paisagem       TICP       + em conceituação



NÚCLEO DE ESTUDOS DA PAISAGEM (NEP - FAU USP)
Professor Responsável: Euler Sandeville Junior

Projeto TERRITÓRIOS DE INTERESSE DA CULTURA E DA PAISAGEM (TICPS)
Projeto UNIVERSIDADE LIVRE E COLABORATIVA
ENSINO DE PÓS-GRADUAÇÃO

PROPOSTA DO PROJETO
projeto 2019: Projeto ESTRUTURA AMBIENTAL URBANA: Ambiente, Patrimônio Histórico, Integração de Equipamentos e Políticas
projeto 2022: Projeto URBANIZAÇÃO E POÉTICAS DA MEMÓRIA: Urbanização, História e Poéticas da Memória das Escolas no Território Jaraguá Perus Anhanguera: Percursos, Iconografia e Documentação [c. 1970 A 2010]

A paisagem é pensada como um território educativo, com especial atenção a áreas de vulnerabilidade social, visando favorecer o desenvolvimento humano e social, a valorização local e regional e sua interdependência com outros territórios da cidade e contribuir na construção de modo ativo e criativo múltiplas estratégias integrativas dos equipamentos sociais ou de movimentos locais.

Há uma preocupação de entender a questão local e regional, buscando a compreensão de suas questões, potencialidades e disputas internas, mas também suas possibilidades de compreensão e interações com outras escalas e regiões do território da cidade. Buscam-se formas dinâmicas, inovadoras e participativas para a solução colaborativa e solidária de problemas, inclusive a geração de renda a partir da educação, do conhecimento e do compromisso com o espaço público e a qualidade ambiental.

Adotamos como ênfase prioritária o Território de Interesse da Cultura e da Paisagem Jaraguá Perus Anhanguera (Lei n.16.050/2014, artigos 314 a 317, cf. também 67, 312 e a proposição dos Núcleos Regionais de Planejamento, Art. 324 § 1º), no contexto de buscar entender as potencialidades do instrumento para a cidade.

Em sua concepção e criação, o Núcleo de Estudos da Paisagem (NEP;LabCidade FAU USP) teve um papel decisivo e, a partir de sua implementação, tem desenvolvido projetos, estudos e programas em parceria com instituições públicas, moradores e movimentos da sociedade civil na área ambiental, da educação e da saúde, em especial na construção do TICP Jaraguá Perus. Assim, a disciplina apresenta uma perspectiva fortemente experimental e exploratória, privilegiando a compreensão de conceitos, princípios e construção crítica de significados a partir de estudos e vivências na paisagem em processos participantes de estudo.

A cidade é, na concepção dos processos procurados na disciplina e para o aprimoramento dos instrumentos e políticas existentes, um espaço educativo, cultural e colaborativo, reconhecendo seu potencial afetivo, transgeracional, cultural e de produção de conhecimentos e experiências. Busca-se, através da experiência acumulada no Núcleo de Estudos da Paisagem - NEP e em outros parceiros, a articulação de políticas públicas e de formas de participação colaborativa de equipamentos educativos, da saúde e assistência, patrimônio cultural e natural, lugares de memória (lato senso), a produção cultural local e sua memória. Em sua concepção, a disciplina, problematizando conceitos e valores que fundam essas experimentações, busca contribuir de modo ativo e criativo com múltiplas estratégias em curso integrativas dos equipamentos sociais ou de movimentos autônomos locais.

Há uma preocupação de se entender a questão local, referindo-se não apenas a suas questões e disputas internas, mas também à cidade e outros territórios, indagando criticamente fluxos entre seus diversos territórios, contradições, ações públicas, privadas e de construção de autonomia. A paisagem é pensada como um território educativo, com especial atenção a áreas de vulnerabilidade social, visando favorecer o desenvolvimento local, e a solução colaborativa e solidária de problemas, inclusive a geração de renda a partir da educação, do conhecimento e do compromisso com o espaço público e a qualidade ambiental. A disciplina procura, ainda, favorecer formas dinâmicas, inovadoras e participativas para a articulação e diálogo das escalas regionais e locais, dos órgãos setoriais e descentralizados, sempre buscando formas de participação direta e efetiva.

Espera-se que os trabalhos finais incorporem as questões cognitivas, conceituais, metodológicas e vivenciais trabalhadas no curso conforme essas ênfases acima, propondo estratégias para a paisagem a partir de sua interpretação e pesquisa aplicada, representando e integrando as questões ambientais, urbanas e de gestão que resultem em contribuições para a difusão do conceito e compreensão do TICP como instrumento de gestão urbana e de qualificação das paisagens no território e que contribua de modo efetivo para o enfrentamento de questões locais e regionais. Para tanto, além da participação em aulas, os pesquisadores deverão desenvolver estudos de campo e leituras complementares, podendo organizar-se em grupos de trabalho temáticos. A questão ambiental e o conhecimento de campo são considerados centrais no processo da disciplina. A disciplina adota a estratégia de uma oficina aberta à contribuição de outros profissionais e moradores que desejem comprometer-se com os princípios de trabalho, devendo chegar a um trabalho final integrado de todos os participantes, esperando-se realizar debates públicos desse processo e seus resultados.

São objetivos programáticos:










Aprender entre outros, uns com os outros, para gerar ideias de ações melhores para o Século 21.
O mundo que ajudarmos a construir, sabendo disso ou não, é aquele em que viveremos.
O mundo não será diferente das atitudes que tomamos.



Animação de Euler Sandeville, provável 2001


religare ↑

espiral da sensibilidade e do conhecimento ↑



uma proposta de Euler Sandeville Jr.



^ retornar ao início da página

usamos software livre ubuntu / xubuntu  bluefish bluefish  ../libre office   gthumb gthumb