Em destaque

O saber quando não humaniza deprava. Refina o crime e torna mais degradante a covardia.  (Mikhail Bakunin)

As máquinas quase tinham sido criadas dentro dele; de qualquer modo, ele tinha sido criado junto delas  (sobre Johnny, em O Herege; Jack LONDON, 1906).

TABACARIA

Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo.
(…)
Álvaro de Campos, 15-1-1928    clique aqui para ler o poema na íntegra

 

A transitividade crítica, […], se caracteriza pela profundidade na interpretação dos problemas. Pela substituição de explicações mágicas por princípios causais. Por procurar testar os achados e se dispor sempre a revisões. Por despir-se ao máximo de preconceitos na análise dos problemas. Na sua apreensão, esforçar-se por evitar deformações. Por negar a transferência da responsabilidade. Pela recusa de posições quietistas. Pela aceitação da massificação como um fato, esforçando-se, porém, pela humanização do homem. Por segurança na argumentação. Pelo gosto do debate. Por maior dose de racionalidade. Pela apreensão e receptividade a tudo o que é novo. Por se inclinar sempre a arguições.
FREIRE, Paulo. Educação e atualidade brasileira. São Paulo: IPF/Cortez, 2001.

“Imagino na entrada das universidades um monumento aos alunos sem nome dos ciclos básicos. Seguramente acompanhado do monumento aos professores sem nome. Estas são pessoas muito importantes, às quais não se dá importância alguma, senão quase que só numérica, no país. Esse monumento tem muita razão de ser, e é invisível, como os humanos aos quais é dedicado. É construído com ideias e afetos, com ações e experimentações. Tem uma espacialidade que se estende como uma respiração através de todos os meandros da instituição, reanimando as pessoas que estão sedentas de ar puro. Não com matéria, nem certificados, nem com registros. É criado animado por um espírito livre, como um sopro quase imperceptível, como passa imperceptível a multidão à qual se refere (dezenas de milhões!). Este monumento sem nome, deve nos lembrar uma espiral em busca da sua verdade com e diante dos outros, solidária: aprendizado.” (Euler Sandeville Jr. Paisagens Partilhadas. São Paulo: Tese de Livre  Docência, FAU USP, 2011).

linguagem e metodologia projetual

linguagem e metodologia projetual
Euler Sandeville Jr.

 

É uma linha de trabalho que visa subsidiar as disciplinas obrigatórias de planejamento e projeto e optativas projetuais. Em sua essência, são estudos reunindo referências, atualização de material de apoio, organização de conteúdos e referências de apoio, elaboração de exercícios didáticos criativos e de apropriação de metodologias. A natureza aplicada desses estudos é um pressuposto do preparo contínuo de disciplinas básicas da formação do Arquiteto e Urbanista na área Paisagem e Ambiente. Novos problemas surgem, configurações de paisagem demandam novas compreensões, e os próprios alunos colocam novas necessidades e dificuldades cuja reflexão e estudo antecedem a organização de programas, exercícios, referências, a organização da disciplina renova-se propondo novos objetos e contextos, novos temas e abordagens.

 

núcleo de estudos da paisagem

Núcleo de Estudos da Paisagem
docente responsável: Euler Sandeville Jr.

O Núcleo de Estudos da Paisagem (NEP) foi criado em 2003 pelo Professor Euler Sandeville a partir dos princípios da Espiral da Sensibilidade e do Conhecimento (2002) e da proposição de compreensão da paisagem não apenas como visualidade, mas construção social e partilha de experiências. Tem como objeto fundamental estudos da cidade, da natureza e da cultura. É pensado na perspectiva de um esforço colaborativo e interdisciplinar de trabalho (pesquisa, ação, reflexão, aprendizagem).

O grupo de pesquisa reúne uma ampla diversidade de pesquisadores de diversas áreas de formação que atuam Continuar a ler

publicações

Lista de publicações por ano

MINHA PRODUÇÃO BIBLIOGRÁFICA

Nesta página você encontra uma relação de artigos, ensaios, livros, capítulos publicados por mim. Para muitos está disponibilizado o link para download, seguindo os mesmos Termos e Licença de Uso↑ válidos para este sítio. Ao baixar um arquivo, copie a referência bibliográfica nesta página, para facilitar sua citação.

Solicito encarecidamente que ao utilizar um artigo como fonte, ou ao citar um trecho, ou ao copiar e colar, coloque também a citação bibliográfica, em respeito ao trabalho de disponibilizar gratuitamente os conteúdos deste sítio.

Todos os linques desta página abrem em uma nova janela do seu navegador mesmo se disponíveis neste blog. Agradeço informar caso algum linque abra na mesma janela ou não encontre o arquivo.

2016

Capítulos de livros publicados

SANDEVILLE JR., Euler . As Estações de Metrô de São Paulo: paisagem e espaço público. In: Juliano Caldas de Vasconcelos; Tiago Balem (org). (Org.). Bloco (12): O partido arquitetônico e a cidade. 1 ed. Novo Hamburgo: Feevale, 2016, v. , p. 82-99. ISBN: 978-85-7717-201-6.

SANDEVILLE JR., Euler . ARQUITETURA E CIDADE: MODERNIZAÇÃO E PERMANÊNCIAS NA PRAÇA DA SÉ. Continuar a ler

ensino USP

disciplinas de graduação e pós-graduação ministradas na USP

 

2018 SEGUNDO SEMESTRE___________________________________________

graduação FAU USP

AUP0569 – PLANEJAMENTO DE BAIRROS ↑. Professor Euler Sandeville Jr. em parceria com Centro Integrado de Educação de Jovens e Adultos (CIEJA) Perus I, com grupo de pesquisa do NEP sobre o TICP JP e colaboração com movimentos sociais que desenvolvem o TICP Jaraguá Perus. A disciplina é aberta à participação de moradores.

 

2018 PRIMEIRO SEMESTRE___________________________________________

pós-graduação FAU USP

AUP5883 PAISAGENS CONTEMPORÂNEAS: CONTRACULTURA E RESISTÊNCIA, 2018.↑ Prof. Resp. Euler Sandeville Junior, Jorge Bassani

A disciplina propõe a trabalhar criticamente um material temático recortado a partir de movimentos artísticos, culturais e de ativismo de inspiração libertária, a partir do marco do final da Segunda Guerra Mundial. A cada oferecimento é pensada uma abordagem específica, já tendo sido trabalhados os seguintes temas: Contracultura (2008, 2010), Tropicalismo (2013), América (2015).

Para 2018 a temática será o Mundo Contemporâneo, a partir de três aproximações sucessivas: do Iluminismo até hoje; do final da Segunda Guerra até hoje; de 2001 até hoje, a partir de abordagens temáticas que atravessam essas durações e de eventos nelas circunscritos, tais como Teoria e Prática do Conhecimento, Resistência Não Violenta, Contemporaneidade.


graduação FAU USP

2018/1 AUP 652  PLANEJAMENTO DA PAISAGEM (disciplina obrigatória ). Resps. Euler Sandeville Jr, Fabio Mariz Gonçalves, Leonardo Loyolla Coelho, Paulo Renato Mesquita Pellegrino.

PROGRAMA ↑ *  EXERCÍCIO 1 ↑ * EXERCÍCIO 2 * MATERIAL DE APOIO ↑*

2018/1 AUP 654 PROJETO DA PAISAGEM (disciplina obrigatória ) e AUP 0282 – Desenho Urbano e Projeto dos Espaços da Cidade. professores Catharina P. C. dos Santos Lima, Eugenio Fernandes Queiroga, Euler Sandeville Jr, Fábio Mariz Gonçalves, Leonardo Loyolla Coelho.  Eduardo Alberto Cusce Nobre, João Sette Whitaker Ferreira, Karina Oliveira Leitão, Marta Lagrecca, Maria Lucia Refinetti Martins

PROGRAMA ↑ * PLANO DE AULAS ↑*  MATERIAL DE APOIO ↑*

 


 

2017___________________________________________

pós-graduação FAU USP Continuar a ler