ensino e pesquisa


arte, cultura e ambiente

    ensino   +   pesquisas e projetos
    apoio didático   +   publicações
    conceituação   +   contato

graduação         pós-graduação         básico         +cursos

ENSINO DE PÓS-GRADUAÇÃO FAUUSP


AUH5861 - PAISAGEM CULTURAL BRASILEIRA: ENCONTROS, TROCAS E HIBRIDISMOS
Professores Responsáveis. Beatriz Piccolotto Siqueira Bueno, Euler Sandeville Junior (Dante Luiz Martins Teixeira)
Monitora voluntária: Doutoranda Isabelle Carvalho
Terças-feiras, das 14:00 às 18:00 hs.
A disciplina será oferecida em modo híbrido (presencial na Vila Penteado e remoto síncrono)

início      plano de ensino      bibliografia


Objetivos

1. Examinar a paisagem cultural brasileira desde uma perspectiva interdisciplinar, articulando as áreas de Ciências Naturais, História, Arquitetura e Urbanismo, Ciências Humanas e Sociais;

2. Ressaltar a multiplicidade de fontes de informação existentes sobre o assunto e desenvolver uma visão crítica sobre a falta de integração observada entre as várias áreas do conhecimento envolvidas;

3. Analisar o processo que levou à construção da paisagem cultural brasileira existente nos dias de hoje, ressaltando as principais mudanças observadas ao longo do tempo;

4. Discutir a natureza da paisagem cultural brasileira contemporânea como produto de profundas alterações e numerosos intercâmbios levados a cabo com diferentes biotas e contextos sociais, fruto da constante circularidade de sujeitos, objetos e espécies;

5. Examinar as tendências atuais e perspectivas futuras.

Justificativa

Na contramão de uma história eurocêntrica, os "encontros" (CERTEAU, 1990) e trocas culturais em escala "global" (BROTTON & JARDINE, 2000; BROTTON, 2009; GOODY, 201O) têm inspirado cada vez mais questões, resultando em paisagens culturais híbridas, fruto da ampla circulação de sujeitos, artefatos, ideias, formas e espécies da fauna e da flora. Ancorada nos recentes conceitos de "Paisagem Cultural", "Encontros Culturais" e "História Global", a disciplina visa ensinar a ler e desconstruir, nas "rugosidades" do espaço (SANTOS, 1994), processos de interação entre o fazer humano e a natureza em uma perspectiva de longa duração (BRAUDEL, 1979a, 1979b). A partir da década de 1970, as relações dos homens com o "mundo natural" passaram a despertar cada vez mais interesse, dando margem ao aparecimento de trabalhos mais abrangentes ligados ao estudo da paisagem (e.g. SCHAMA, 1996) da expansão europeia (e.g. CROSBY, 1986, 1994, 2003; GERBI, 1975; TURNER, 1983). Não obstante, abordagens que levem em conta a paisagem natural e suas interações ainda são muito escassas em nosso país, mesmo considerando o aparecimento de análises recentes voltadas sobretudo para a destruição da chamada "Mata Atlântica" (e.g. DEAN, 1995). Partindo de uma perspectiva interdisciplinar, o presente curso pretende discutir tanto a natureza da paisagem cultural brasileira quanto as mudanças observadas ao longo da história até sua conformação atual, tendo como pano de fundo os testemunhos produzidos desde o século XVI - cronistas, naturalistas viajantes, cartógrafos etc. - até as mídias atuais – cinema, audiovisuais, fontes impressas, literatura especializada etc.

Observações importantes

Disciplina ofertada em formato híbrido. As aulas, quando on-line, serão síncronas Porcentagem de aulas presenciais: 53%; Porcentagem de aulas on-line: 47%. Fontes primárias, envolvendo documentos visuais e textuais, serão disponibilizados para o aluno em plataforma Moodle USP E-Disciplinas e Google Drive. A plataforma utilizada para transmissão de aulas síncronas será o Google Meet. A presença na Universidade será obrigatória nas aulas presenciais, e nelas estarão presentes professores e alunos. A interação entre aluna/aluno e professora/professor se dará somente durante as aulas. Metodologias ativas de ensino, atividades de cooperação e colaboração entre os alunos serão mobilizadas, por meio de seminários sobre documentação primária e interpretação de filmes. A forma de controle da frequência nas aulas será remota ou presencial, de acordo com as aulas, lembrando que alunos têm que atender a frequência mínima de 75% na disciplina. É obrigatória a disponibilidade de câmera e áudio (microfone) por parte dos alunos nas aulas remotas para garantir a interação. A FAU-MARANHÃO encontra-se com infraestrutura adequada para acesso à plataforma Google Meet (sala de aula com infraestrutura de multimídia; equipamentos necessários a participação dos alunos e outros) quando for necessário acionar algum docente convidado remotamente.

Forma de Avaliação

Considerando a natureza multidisciplinar da matéria proposta, a participação dos alunos, a leitura de textos e análise de documentos escritos, artísticos e cinematográficos e a apresentação de seminários são estratégias didáticas para aferição da aprendizagem dos conteúdos ministrados. O Trabalho Final consistirá num artigo de 1.600 palavras para revista especializada, incorporando as contribuições teórico-metodológicas da disciplina e interesses de pesquisa dos alunos = 6 pts. (individual). Leitura de textos e análise de documentos escritos, artísticos e cinematográficos e a apresentação de seminários = 4 pts (em grupo)










Aprender entre outros, uns com os outros, para gerar ideias de ações melhores para o Século 21.
O mundo que ajudarmos a construir, sabendo disso ou não, é aquele em que viveremos.
O mundo não será diferente das atitudes que tomamos.



Animação de Euler Sandeville, provável 2001


religare ↑

espiral da sensibilidade e do conhecimento ↑



uma proposta de Euler Sandeville Jr.



^ retornar ao início da página

usamos software livre ubuntu / xubuntu  bluefish bluefish  ../libre office   gthumb gthumb