ensino e pesquisa


arte, cultura e ambiente

    ensino   +   pesquisas e projetos
    apoio didático   +   publicações
    conceituação   +   contato

graduação         pós-graduação         básico         +cursos

ENSINO DE GRADUAÇÃO FAUUSP


Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo
Departamento de Projeto – Grupo de Disciplinas Paisagem e Ambiente
AUP 652/2022 PLANEJAMENTO DA PAISAGEM

Professores Responsáveis. Ana Cecília de Arruda Campos, Euler Sandeville Jr, Eugênio Fernandes Queiroga, Fabio Mariz Gonçalves, Paulo Renato Mesquita Pellegrino.
Monitora. Gabrielle Natalie de Araujo Gusmão. Colaboradores: Dr. Silvio Romero Fonseca Motta, Doutoranda Daniela das Neves Alvarenga
Terças-feiras, 8:00 a 12:00, 1º semestre 2022, disciplina obrigatória de graduação


início (programa)
cronograma previsto das aulas
bibliografia básica
apoio didático (↑ abre em nova janela)

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ARENDT, R.G. Conservation Design for Subdivisions. EUA, Island Press, 185 p.

DRAMSTAD, W.; OLSON, J.; FORMAN, R. Landscape Ecology Principles in Landscape Architecture and Land-Use Planning. Washington, DC: Island Press, 1996.

FORMAN, R. Land Mosaics: the ecology of landscapes and regions. Cambridge: Cambridge University Press, 1997.

FORMAN, R.; GODRON, M. Landscape Ecology. New York: Wiley and Sons, 1986.

GALVÃO, R.F. Planejamento Ambiental: Teoria e prática. São Paulo: Oficina de Textos, 2004

LYLE, J.T. Design for Human Ecosystems – Landscape, Land use, and Natural Resources. Island Press, 1999.

MC HARG, IAN. Design with nature. N. York: The Natural History Press, 1969.


BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

AFONSO, C. A paisagem da Baixada Santista: urbanização, transformação e conservação. São Paulo: EDUSP, 2006.

Campos, A. C. de A., Cossia, D., Macedo, S. S., Preto, M. H., & Robba, F. (2009). Análise do Sistema de Espaços Livres da cidade brasileira – uma metodologia em construção: Estudo de caso para o município de São Paulo. Paisagem E Ambiente, (26), 197-210.

CALDEIRA, T.P. do R. Cidade de muros: crime, segregação e cidadania em São Paulo. Tradução: Frank de Oliveira e Henrique Monteiro. São Paulo: Ed.34: Edusp, 2000.

CONSELHO DE AVALIAÇÃO ECOSSISTÊMICA DO MILÊNIO. Ecossistemas e bem-estar humano. Estrutura para uma avaliação. Relatório do Grupo de Trabalho da Estrutura Conceitual da Avaliação Ecossistêmica do Milênio (Ecosystems and Human Wellbeing). SENAC. São Paulo, 2005.

FISCHER, J; LINDENMAYER, D.B. Landscape modification and habitat fragmentation: a synthesis. Global Ecology and Biogeography, (Global Ecol. Biogeogr.) 16, 265–280. 2007.

HOUGH, M. Naturaleza y ciudad: planificación urbana y procesos ecológicos. Barcelona, Gustavo Gili, 1998.

LEITE, M. A. F. P. Destruição ou desconstrução? Questões da paisagem e tendências de regionalização. São Paulo: Hucitec, 1994.

Lindenmayer D, Hobbs RJ, Montague-Drake R, Alexandra J, Bennett A, Burgman M, Cale P, Calhoun A, Cramer V, Cullen P, Driscoll D, Fahrig L, Fischer J, Franklin J, Haila Y, Hunter M, Gibbons P, Lake S, Luck G, MacGregor C, McIntyre S, Nally RM, Manning A, Miller J, Mooney H, Noss R, Possingham H, Saunders D, Schmiegelow F, Scott M, Simberloff D, Sisk T, Tabor G, Walker B, Wiens J, Woinarski J, Zavaleta E. A checklist for ecological management of landscapes for conservation. Ecology Letters. 2008 Jan;11(1):78-91

MACEDO, S.S.; GALENDER, F.; ARRUDA, A.C.; QUEIROGA, E.F. ET ALII – Considerações sobre o sistema de espaços livres e a constituição da esfera publica no Brasil, em TANGARI, V. R. et alii, org. Sistemas de espaços livres – o cotidiano, apropriações e ausências, UFRJ. p. 60 - 83.

MACEDO, S. S.; GALENDER, F.; DEGREAS, H.; COSSIA, D.; CAMPOS, A.C.A.; AKAMINE, R. Oficinas de Trabalho como instrumento de pesquisa e aprendizado. São Paulo: Paisagem e Ambiente, n. 26, p.165 -198.

MACEDO, S.S. Paisagem, Litoral e Urbanização. São Paulo. 1993. Tese (Livre- docência) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1993.

MAGALHÃES, M. A Arquitectura Paisagista: morfologia e complexidade. Lisboa: Estampa, 2001

METZGER, Jean Paul (2010). O Código Florestal tem base científica? Natureza&Conservação 8(1):1-5, 2010

METZGER, J.P.W. Como lidar com regras pouco obvias para conservação da biodiversidade em paisagens fragmentadas. Natureza & Conservação, v. 4, n.2, p.11-23, 2006.

MILLIENNIUM ECOSYSTEM ASSESSMENT. Relatório-síntese da avaliação ecossistêmica do milênio, 2005.

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE, SECRETARIA DE QUALIDADE AMBIENTAL NOS ASSENTAMENTOS HUMANOS. Projeto Orla: Fundamentos para gestão integrada. Brasília: MMA/SQA, 2002.

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE, SECRETARrojetoIA DE QUALIDADE AMBIENTAL NOS ASSENTAMENTOS HUMANOS. Projeto Orla: Manual de gestão. Brasília: MMA/SQA, 2002.

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE, SECRETARIA DE QUALIDADE AMBIENTAL NOS ASSENTAMENTOS HUMANOS. Projeto Orla: Subsídios para um processo de gestão. Brasília: MMA/SQA, 2004.

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Pagamento por serviços ambientais: desafios para estimular a demanda empresarial, 2013 ↑.

OSEKI, J.; PELLEGRINO P. Paisagem, Sociedade e Ambiente, in Curso de Gestão Ambiental. Barueri, SP: Manole, p. 485-524, 2004.

PELLEGRINO, Paulo R. M.. Pode-se Planejar a Paisagem? Paisagem e Ambiente, (13), 159-179, 2000

PELLEGRINO, P. R. M; GUEDES, P.P.; PIRILLO, F.C.; FERNANDES, S.A. Paisagem da borda: uma estratégia para a condução das águas, da biodiversidade e das pessoas. In: COSTA, L.M.S.A. (Org.). Rios e paisagem urbana em cidades brasileiras. Rio de Janeiro: Viana & Mosley, PROURB, 2006, p. 57-76.

QUEIROGA, E. F.; MACEDO, S.S.; GALENDER, F.; ARRUDA, A.C., ET ALII – Os espaços livres e a esfera pública contemporânea no Brasil: por uma conceituação considerando propriedades (públicas e privadas) e apropriações, em TANGARI, V. R. et alii, org. Sistemas de espaços livres – o cotidiano, apropriações e ausências, UFRJ paginas 84 a 99.

QUEIROGA, E. F. Dimensões públicas do espaço contemporâneo: resistências e transformações de territórios, paisagens e lugares urbanos brasileiros. 2012. 284 f. Tese (Livre-docência) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

SANDEVILLE JUNIOR, Euler . Paisagens, uma rápida apresentação. São Paulo, Biosphera21 / Instituto da Paisagem, 2020.

SANDEVILLE JR., Euler; BIRELLO, Fernando; BORTOLO, Mario; DEBOA, Suerda; FELICIANO PALMA, Bruna; GODOY BUENO, Flávia Assumpção; KINKER, Fabio; MARCOLINO, Miriam; RIBARIC, Adrian. Reserva Jaraguá-Cainás x Terra Indígena Guarani, Unidade de Conservação, ecologia da Paisagem e Patrimônio Cultural. Universidade Livre e Colaborativa/ Biosphera21, 2020.

SANDEVILLE JR., Euler (1); IMAMURA, Fabiana Tiemi (2); GODOY, Belisa de Quadros Corrêa (3); CARUNCHIO, Cláudia Ferrara (4); RODRIGUES SILVA, Bárbara Campelo (5); ONODA, Marina Ayumi (6); NISSI, Larissa Yumi Ito (7); LEMOS, Paula Cerqueira (8); THINA, Renata (9); SUJUKI, Taís Sayuri (10). Espaços livres, paisagem e cidade. Campo Grande: 11 ENEPEA, 2012

SANDEVILLE JR., Euler. “Vegetação nativa”. Biosphera21, online, 1997.

SANDEVILLE JR., Euler. Paisagens PartilhadasPaisagem e Ambiente, São Paulo, n. 30, p. 203-214 (2012), june 2012. ISSN 2359-5361.

SANDEVILLE JR., Euler . Paisagens e métodos. Algumas contribuições para elaboração de roteiros de estudo da paisagem intra-urbanaPaisagens em Debate, FAU.USP, v. 2, p. 1, 2004.

SANDEVILLE JR., Euler. Paisagem . Paisagem e Ambiente, São Paulo, n. 20, p. 47-59, june 2005. ISSN 2359-5361.

SANTOS, Milton. Espaço e método. São Paulo: Nobel, 1985.

SPIRN, A.W. O jardim de granito: a natureza no desenho da cidade. São Paulo: Edusp, 1995.

TÂNGARI, V.R. ET ALII (org). Sistemas de espaços livres – o cotidiano, apropriações e ausências, UFRJ, 2009

VILLAÇA, F. Espaço intra-urbano no Brasil. São Paulo: Nobel, 1998.


FONTES PARA CONSULTA

Geosampa ↑

Plano Regional Estratégico das Subprefeituras ↑

Secretaria de Gestão Urbana ↑

Ministério do Meio Ambiente, o que é o SNUC e exemplos ↑

Regulamentação do SNUC ↑

Resoluções CONAMA ↑

Mapbiomas ↑


veja também:

CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO. Plano Diretor Estratégico do Município de São Paulo, Lei no 16.050, de 31 de julho de 2014.

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO. Plano Municipal da Mata Atlântica - PMMA São Paulo. 2017

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO. Caderno de Propostas dos Planos Regionais das Subprefeituras. Quadro Analítico. Macrorregião Norte 2, 2016.

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO. Caderno de Propostas dos Planos Regionais das Subprefeituras. Perímetros de Ação. Macrorregião Norte 2, 2016.

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO. Caderno de Propostas dos Planos Regionais das Subprefeituras. Quadro Analítico. Perus, 2016.

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO. Caderno de Propostas dos Planos Regionais das Subprefeituras. Perímetros de Ação. Perus, 2016.

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO. Caderno de Propostas dos Planos Regionais das Subprefeituras. Quadro Analítico. Pirituba/ Jaraguá, 2016.

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO. Caderno de Propostas dos Planos Regionais das Subprefeituras. Perímetros de Ação. Pirituba/ Jaraguá, 2016.

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO. Plano de Ação das Subprefeituras de São Paulo. Subprefeitura Perus/Anhanguera. 2019.

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO. Plano de Ação das Subprefeituras de São Paulo. Subprefeitura Pirituba/Jaraguá. 2019.







Aprender entre outros, uns com os outros, para gerar ideias de ações melhores para o Século 21.
O mundo que ajudarmos a construir, sabendo disso ou não, é aquele em que viveremos.
O mundo não será diferente das atitudes que tomamos.



Animação de Euler Sandeville, provável 2001


religare ↑

espiral da sensibilidade e do conhecimento ↑



uma proposta de Euler Sandeville Jr.



^ retornar ao início da página

usamos software livre ubuntu / xubuntu  bluefish bluefish  ../libre office   gthumb gthumb